Colagem Digital - 5 Artistas que você PRECISA conhecer

Colagem e Pop Art

Após a segunda guerra mundial, o Dadaísmo e o Surrealismo se utilizaram da técnica de colagem com obras que tiravam imagens de contexto. Contemporâneo a isso nomes como Jean Arp e Henri Matisse viram no movimento o potencial do abstracionismo, e começaram a utilizar pedaços de papéis colados em suas composições. Após a segunda Guerra Mundial o movimento Pop Art consolida a técnica de colagem, de onde surge um dos principais nomes da técnica, Richard Hamilton. Ele foi um dos pioneiros em misturar arte e cultura pop. O artista ficou famoso pelo seu toque de ironia em suas composições de colagens de revista.

A colagem contemporânea

Diversos artistas como Slop, ainda trabalham com a colagem física, usando de recortes de revistas, jornais, cartazes etc. Mas a colagem digital tem ganhado muita força no meio artístico e até pop.

Hoje os artistas de colagem digital misturam técnicas. Além de sobrepor camadas de imagens, aplicam-se efeitos gráficos, permitidos por ferramentas como o Photoshop. Ainda que uma ferramenta como essa permita chegar ao realismo da composição, a percepção das camadas recortadas e a ideia de notar que uma imagem não pertence inicialmente a outra, é algo que se mantém na colagem digital contemporânea.

Alguns Artistas de colagem digital para se conhecer:

Eugenia Loli

Eugenia já foi enfermeira, jornalista e filmmaker, mas foi na arte que se encontrou. Nascida na Grécia, hoje vive na Califórnia. Eugenia é da área de tecnlogia, ambiente que abandonou para seguir carreira na arte. Aprendeu a técnica de colagem fazendo um vídeo clipe, e depois disso nunca mais largou.

Com suas colagens e títulos, Eugenia provoca o observador, através de composições vintage surrealistas, a criar um filme em sua cabeça.

Pectus Excavatum“ by Eugenia Loli

Pedro Nekoi

Pedro é recifense e trabalha com arte digital desde os 17 anos. Junto a 2 amigos, ele mantém o estúdio criativo Lambada em São Paulo.

As obras de Nekoi transitam entre a moda, arquitetura e tecnologia, resultando em artes surreais que misturam o vintage e o contemporâneo, lembrando movimentos como o vaporwave.

manual collage: RETROGAY, 2018.

Justin Peters

Inspirado por artistas tradicionais como Salvador Dalí e Vladimir Kush, Justin com apenas 23 anos cria cenas surreais utilizando de modo geral o Photoshop. Diferente dos outros artistas citados, Peters foca na composição perfeita, sem o tom escancarado de colagem.

“Moonfall“ by Justin Peters

Julien Pacaud

Julien Pacaud é um artista e ilustrador francês que vive e trabalha em Paris, França. Antes de se tornar um ilustrador, ele era, por sua vez, um astrofísico, um jogador internacional de sinuca, um hipnotista e um professor de esperanto. Ele espera poder algum dia ter tempo livre suficiente para se dedicar à sua verdadeira paixão: viajar no tempo.

Suas composições misturam técnicas avançadas de coloração com recortes rústicos de colagem, misturando cenas vintage de contemporâneas de maneira Surreal.

“ON THE EDGE” by Julien Pacaud

Yara Oliveira

Yara Oliveira é uma artista multitarefas envolvida com ilustração, design, video e fotografia. Coleciona diversas referências. Entrou no universo da colagem em 2018, quando criou um encarte de álbum indie com essa técnica, depois disso não parou de produzir.

Artes de Yara Oliveira

Se você gostou deste artigo e quer ver mais conteúdo do tipo, que tal apoiar a revista Freak Market? Pelo Apoia-se você pode contribuir para que essa revista continue produzindo conteúdo independente e divulgando novos artistas. A partir de cinco reais você já recebe recompensas e ajuda a construir um conteúdo de qualidade, livre de intervenção publicitária.

Escrito por:

Yara Oliveira

Graduada em Rádio e Tv, com extensão em artes contemporâneas e cinema e pós em design. Comunicação, arte e design, paixões intrínsecas da minha vida e bases da sociedade, que tenho necessidade de aprender e explorar cada vez mais.
Popular em Design