O Freak Market selecionou os principais feitos brasileiros nos esportes radicais em 2015

Realmente, brasileiro não desiste nunca. Uma boa prova dessa fama é o desempenho impressionante do país nos esportes radicais em 2015. A garra correu solta de janeiro a dezembro. Coroamos o ano com Mineirinho arrasando nas ondas de Pipeline, de onde saiu campeão do Circuito Mundial de Surfe, repetindo o sucesso de Gabriel Medina no ano passado. Confira a retrospectiva e relembre momentos emocionantes.

10. A festa da Skate Run 2015

As ruas de São Paulo receberam a maior corrida de skate do mundo, com percursos de 8Km para profissionais ou 3 km para famílias e curiosos. Em 2015, a graça do evento foi ter, entre os participantes, o ex-campeão mundial Sandro Dias, que colocou as rodinhas para gastar no asfalto.

Na verdade, o que vale aqui é o espírito de equipe e a vontade de curtir, pois o evento reúne milhares de amantes do esporte pela cidade. O vencedor do percurso amador de 2015 foi Artur Maniero, que cravou 17min17s. Na categoria Feminina Amadora, quem ficou no topo foi Ana Paula Almeida, ao cruzar a linha de chegada com 22min42s.

 

 

9. Pista Olímpica de Mountain Bike

Os amantes das magrelas podem esperar por boas emoções nas disputas das Olimpíadas Rio-2016. Inaugurada em outubro, a pista olímpica de 5,4 km foi bastante elogiada pelos atletas que a batizaram durante o Desafio Internacional de Mountain Bike. Os vencedores da disputa – o suíço Nino Schurter e a italiana Eva Lechner – só se queixaram do calor, que deverá ser um desafio para os esportistas não acostumados ao calor tropical.

11.10.2015.Evento Teste Mountainbike_Deodoro. Fotos Paulo Mumia/Rio 2016

Evento de teste da pista olímpica de mountain bike no Rio de Janeiro. Crédito: Paulo Mumia/Rio 2016

8. Maya Gabeira reecontra super onda

Imagine o tamanho do trauma ao se sofrer um acidente surfando numa onda de 30 metros – e depois tentar encarar tudo de novo. Esse foi o desafio da surfista Maya Gabeira que, em 2013, sofreu um grave acidente devido a super onda de Nazaré no litoral português. Em 2015, com ajuda de jet skis nos deslocamentos, ela conseguiu domar a destemida onda. História de superação.

 

 

7. Os reis do bodyboard

Já está virando tradição: pela terceira vez, a equipe brasileira alcança o título máximo no ISA World. A praia de Iquique, no Chile, foi o cenário perfeito para o Brasil mandar muito bem na disputa por equipe e nas categorias individuais.

Eder Luciano leva o terceiro lugar no individual, Lucas Nogueira sexto no Open masculino. Na categoria sub-18, Sócrates Santana arrebata o vice-campeonato. A ala feminina fez bonito: a pentacampeã Neymara Carvalho levou a prata no individual, assim como Victoria Moraes no sub-18 feminino.

 

 

6 – Brasileiros faturam “Exploradores do Ano” da National Geographic

kayak - red bull content pool

Imagem de atleta participante do desafio de caiaque em local extremamente promovido pela National Geographic. Crédito: Red Bull Content Pool

O brasileiro Pedro Oliva (ao lado da equipe formada por Ben Stookesbury, Chris Korbulic e Ben Marr) alcança o respeitável título de Exploradores do Ano National Geographic na categoria caiaque.

Os números do desafio – que se passou pelo Oceano Pacífico, na região do Mar de Salomão – impressionam: são 20km de descidas entre corredeiras, desfiladeiros e paredões de 300 metros envoltos por correntezas potentes. Essa turma encarou tudo isso e levou a melhor.

5. Brasileiros escalaram montanha mais alta dos Andes

Encarar os pontos mais altos da Cordilheira dos Andes é um feito para poucos. Porém, três alpinistas brasileiros (Maximo Kausch, Pedro Hauck e Jovani Blume, ao lado da inglesa Suzie Imber) levaram dois meses para atingirem o topo de 12 montanhas. Subiram até o Monte Parofes, de 5845m de altitude, que é considerado o ponto mais alta da região ainda não escalado. Toda a aventura durou cerca de dois meses.

 

 

4. O recorde de salto mundial de penhasco tem um pouco de verde e amarelo

O cenário bucólico da Cascata del Salto, em Maggia, na Suíça – banhada por um lago de oito metros de profundidade – protagonizou uma cena histórica.

Foi lá que o suíço-brasileiro Laso Schaller pulou surpreendentes 58,8 metros, ultrapassando o registro do tcheco Rudolf Bok, de 58,2m, recorde até então vigente. Adepto do canyoning, Schaller pulou de uma altura equivalente a de um prédio de 20 andares.

 

 

3. Fera na corda bamba

Nem mesmo as novas regras do Campeonato Mundial de Slackline foram capazes de desequilibrar o intrépido Pedro Rafael. O atleta cearense mostrou que sabe ficar na linha como ninguém e ganhou a finalíssima sediada em Fortaleza.

A energia dos conterrâneos fez a estrela de Pedro brilhar mais forte até atingir recorde mundial no sistema de pontuação ISI, em vigência neste ano, com a marca de 533,71 pontos.

 

 

2. Já estava na hora

Por duas vezes, o atleta Caio Vaz chegou perto do título de campeão mundial de SUP Wave. Mas em 2015 não teve onda que o segurasse em Huntington, na Califórnia. O brasileiro terminou a competição em primeiro lugar, atingindo o mesmo feito de Leco Salasar – primeiro a levar o título pelo Brasil em 2012.

 

 

1. Mineirinho vence Circuito Mundial de Surfe

Gabriel Medina já deu a letra no ano passado: o Brasil ta dropando altas ondas no surfe internacional. Mas a joia da coroa de 2015 viria nas mãos de outro herói. Repetindo em estilo dobradinha, em 2015 deu Mineirinho vencedor da última etapa de Pipeline.

O menino, filho da brisa do Guarujá, trouxe também uma vitória inédita ao país no circuito havaiano. Na final, Adriano Souza venceu de virada Josh Kerr com uma pontuação de 5,50 a 4,43 e sentiu o gostinho de estar no topo de mundo.

Mineirinho - WSL - Kirstin Scholtz3

O brasileiro Mineirinho ovacionado pelo público após sair campeão do Circuito Mundial de Surf. Crédito:  Kirstin Scholtz