Entre 2000 e 2015, durante o deslocamento imigratório para o Brasil, foi registrada a entrada de quase 900 mil estrangeiros, de acordo com dados lançados pelo Núcleo de Estudos da População Elza Berquó. Com o aumento da visibilidade do país como foco de imigrações, a tendência é que os gráficos continuem aumentando anualmente.

Muitos estrangeiros saem de seus países para escapar de vidas precárias, economia em falência ou zonas de conflito, mas o caminho é árduo para quem deixa sua terra natal ilegalmente ou refugiado, ainda mais quando não se tem fácil adaptação com o novo país e, com isso, acaba tendo problemas para arranjar emprego e moradia. Os cinco filmes abaixo relatam situações pelas quais imigrantes passam, sejam eles acolhidos no país, entrando de maneira ilegal ou barrados pelo departamento de imigração aeroportuário.
 
 

Open Arms, Closed Doors (Angola - Brasil, 2014)

Open Arms, Closed Doors (Braços Abertos, Portas Fechadas) é um documentário sobre a vida de Badharo, um imigrante angolano que vem para o Brasil em busca de uma vida melhor por ser um país multicultural. Entretanto, acaba encontrando outra realidade ao se instalar na favela Mare, no Rio de Janeiro, e expressa na sua música as frustrações que passa na cidade com relação à racismo e violência contra a população negra.

O filme é de 2014, mas esse contexto de vida de imigrantes angolanos segue ocorrendo até hoje. Eles veem o nosso país como um lugar de fácil acesso, por terem proximidade com a língua portuguesa e por não haverem taxas ou necessidade de documentação para pedido de refúgio. Porém, apesar de buscarem o Brasil por conta de dificuldades econômicas na África, os imigrantes muitas vezes se deparam com um cenário vulnerável e acabam vivendo em extrema pobreza em periferias brasileiras.
 
 

Samba (Senegal - França, 2014)

Samba leva o nome de seu personagem principal, um imigrante senegalês que vive na França há dez anos buscando se tornar um chef de cozinha, mas não tem como realizar seu sonho sem conseguir uma autorização de residência para permanecer no país dentro da lei, problema que o deixa à mercê de poder ser deportado a qualquer momento caso sua ilegalidade seja descoberta pela polícia.
 
O longa é inspirado no livro “Samba Pour la France” da escritora Delphine Coulin, que debate, por meio de uma comédia dramática, as condições de vida de imigrantes e refugiados no solo em que ela nasceu, revelando um cenário de xenofobia, pobreza e oportunismo político.
 
 

A Boa Mentira (Sudão - EUA, 2015)

 
A Boa Mentira narra a trajetória de crianças que fugiram do interior da África para campos de refugiados no Quênia em busca de proteção por conta da guerra civil sudanesa. Após treze anos, três dos jovens refugiados resolvem imigrar para os Estados Unidos e restabelecer suas vidas com o auxílio de uma assistente social.
 
Além do contexto em torno de imigração, o filme retrata o choque de cultura entre nações, apresentando passagens que denotam as diferenças entre os africanos e americanos durante a fase de adaptação dos personagens à nova civilização em que se inserem e a perspectiva de viver em uma sociedade totalmente divergente da que faziam parte.
 
 

Olhos Azuis (Brasil - EUA, 2010)

 
Olhos azuis não foca diretamente nos imigrantes como nos outros filmes citados. O enredo discorre sobre o caminho percorrido por Marshall, um policial americano que, ao barrar a entrada de imigrantes latinos em Nova York, fazendo os mesmos passarem por humilhações, acaba cometendo uma fatalidade. Tal consequência o leva a viajar ao Brasil anos depois em busca de redenção quanto ao crime cometido, conhecendo a família que a vítima deixou para trás.
 
O longa coloca os personagens estrangeiros sob duas perspectivas. Primeiro, os imigrantes investigados por um policial que os coloca em situações constrangedoras apenas por sadismo e satisfação pessoal em rebaixar outros seres humanos por sua nacionalidade diferente. Em segundo plano, vem a recepção do americano em solo brasileiro, contrastando com isso o tipo de tratamento dado a quem vem de fora.
 
 

Terra Firme (Etiópia - Itália, 2011)

 
Terra Firme conta a história de uma família italiana que vive do turismo como maior fonte de renda, apesar do patriarca Ernesto ainda manter a pesca como atividade por amor a esse trabalho. Um dia, ao velejar, ele e o filho encontram um barco naufragado e acolhem duas vítimas dele, sem saber inicialmente que se tratava de imigrantes clandestinos vindos da Etiópia. 
 
As leis italianas proíbem o abrigo de pessoas ilegais no país, e o filme coloca isso em pauta, mostrando as boas intenções da família para com os refugiados e as implicações que essas ações lhe trazem ao contrariar as autoridades.